O fim do ano

Fim de ano é quase o fim do mundo, ou esperança que o mundo acabe no 31 de dezembro e um novo recomeço das espécie inicio no dia seguinte, o que infelizmente não é tão possivel.

meu ultimo post data de janeiro de 2011, o ano talvez mais dificil para mim. O ano que acaba de escorrer agora, 2016, parece que foi o mais dificil pra humanidade. Eu, por consequência, sofri junto. E sou mais um entre a multidão desejando cada segundo que 31 de dezembro chegue logo com esperança que algo va melhorar para todos.

feliz fim de ano pra nos mano.

Publicado em As aventuras | Deixe um comentário

o recomeço

Costumo começar e parar atividades milhões de vezes, inclusive aqui.

Num impulso provocado por uma insônia (a segunda da semana, sendo a segunda consecutiva na mesma semana), me flagrei relendo alguns posts e revisitando os blogs que sempre gostei de ler.

Porque não me permitir a mais um recomeço?

Tenho uns três cadernos incompletos de devaneios que vez por outra escrevo, sem ordem alguma e nunca fez mal nenhum.

 

Publicado em As aventuras | Deixe um comentário

heartbeats

Publicado em Já disseram por aí | Deixe um comentário

da volta quase certa

eu tenho 13 (näo me refiro as eleiçoes do brasil…) pequenos posts iniciados, hà algum bom tempo, nas quais nunca terminei. É que eles perdiam os sentidos a cada palavra juntada…

vamos dar um outra chance?

Publicado em Diariamente | Marcado com , | 1 Comentário

dos dias de greve.

Todo dia eu tento, tento quase que de verdade escrever algo.

Mas as minhas palavras estäo fazendo greve! As negociaçöes estäo complicadas.

Estao se sentindo muito pressionadas e näo estäo sendo pagas como hora extra por isso. Acham que fazem trabalho de escravo!

Meus argumentos näo estäo surtindo efeitos…

Publicado em Diariamente | Marcado com , | 2 Comentários

O dia perfeito

Seria uma típico dia de verão europeu. Céu azul e quente. Eu estaria num vilarejo onde da casa até uma praia indescritível e deserta não seria mais que 1km de caminhada entre poeira e pedras.

Eu acordaria cedo, com o barulho do mar e dos pássaros. Sairia para ver o sol e começaria aguar as plantas do jardim enquanto traçaria os planos do dia.

Iria na feira da cidadezinha para comprar uma diversidade de frutos do mar fresquinhos pensando numa receita do livro que ganhou duas semanas antes. Como não tinha tomado café, aproveita e compra frutas e um cake caseiro para comer com leite e suco feito no liquidificador velho que tinha na casa de praia. Flores pra deixar a casa mais bonita e o jornal do dia para não perder o habito.

A medida que os amigos chegavam, a mesa e o terraço seriam organizados, cada um era recebido com risos, abraços e uma historia nova das férias.  Receita no fogo,  a cerveja gelada aliviava o calor do dia. Ventava, uma brisa de praia.

Fim da tarde todos na tal bela praia deserta. Pele bronzeada, cerveja e jogos de baralho, balão e enterrados na areia. O por do sol era lindo.

Sacudindo a areia, iríamos ao parque de diversão que tinha chegado na vila. Depois de competição no auto-pista, tiro ao alvo e montanha russa, voltaríamos todos pra casa pra comer o delicioso bolo de chocolate feito durante o almoço.

Depois de todos terem partido, eu adormeceria na rede olhando o céu estrelado ouvindo o som do mar.

Publicado em Diariamente | Marcado com , , , , , | 1 Comentário

do dia inacabado

noite mal dormida

sonhos recortados

se esse dia tivesse mesmo que existir,

que ao menos fosse uma mentira.

Publicado em Diariamente | Marcado com , | 1 Comentário